Diagnóstico principal na obstetricia não presente na admissão

Ir em baixo

Diagnóstico principal na obstetricia não presente na admissão Empty Diagnóstico principal na obstetricia não presente na admissão

Mensagem por amaral bernardo em Sex 15 Fev 2019, 06:14

"Estou com um problema no meu serviço porque me devolvem todos os episódios em que escolho um diagnóstico que não está presente na admissão. 
 Mas se há especialidade em que isso pode acontecer é na obstetrícia. 
 Se eu tiver uma grávida sem patologia, que é admitida para ter um parto e que tem uma laceração no parto, se não tenho mais códigos, é esse que tenho de escolher e não posso dizer que estava presente na admissão. 
 E se por acaso até tem um código de obesidade ou de fumadora, não acho correcto que fique um desses códigos como o principal. 
 Ou estou errada?"

(Responde Fernando Lopes)

Um diagnóstico principal não presente na admissão é um bom alerta na codificação.
Mas não pode bloquear. Exige a atenção do codificador ou do auditor e pode ser validado.
O SIMH permite avançar com a codificação, o registo e o agrupamento do episódio.
 
O não achar correto a obesidade ou o tabagismo como diagnósticos principais da obstetrícia é que já não é tão linear.
A ICD-10-CM prevê que estes diagnósticos possam complicar a gravidez:
 
O99 Other maternal diseases classifiable elsewhere but complicating pregnancy, childbirth and the puerperium 
Includes
conditions which complicate the pregnant state, are aggravated by the pregnancy or are a main reason for obstetric care Use additional code to identify specific condition
 
O99.21- Obesity complicating pregnancy, childbirth, and the puerperium 
Use additional code to identify the type of obesity (E66.-)
 
O99.33- Tobacco use disorder complicating pregnancy, childbirth, and the puerperium
Smoking complicating pregnancy, childbirth, and the puerperium
 
O obstetra pode dizer que a obesidade complica sempre a gravidez mas não diz mesmo do tabaco. 
A questão está no que ele escreve.
Se o médico mencionou estes diagnósticos no processo clínico da grávida é porque eles devem ser registados e, segundo a ICD-10-CM, codificados.
 
F17 Nicotine dependence 
Excludes1: 
history of tobacco dependence (Z87.891)
tobacco use NOS (Z72.0) 
Excludes2: 
tobacco use (smoking) during pregnancy, childbirth and the puerperium (O99.33-)
toxic effect of nicotine (T65.2-)
 
Embora a ICD-10-CM não faça nenhuma ligação (com o termo 'with') entre o tabaco e a gravidez e permita codificar uma gravidez (normal) e o uso de tabaco sem complicar a gravidez, as Guidelines vão mais longe:
 
Tobacco use during pregnancy, childbirth and the puerperium
Codes under subcategory O99.33, Smoking (tobacco) complicating pregnancy, childbirth, and the puerperium, should be assigned for any pregnancy case when a mother uses any type of tobacco product during the pregnancy or postpartum.
A secondary code from category F17, Nicotine dependence, should also be assigned to identify the type of nicotine dependence. (ICD-10-CM Official Guidelines for Coding and Reporting, FY 2019, Page 66 of 120)
 
Assim sendo, não é disconforme codificar o tabagismo a complicar a gravidez como diagnóstico principal numa grávida fumadora que não tenha mais nenhum diagnóstico para além de 'trabalho de parto'.
Só ignorando aquela Guideline é que pode utilizar-se O80 + F17.---
E respeitando-a poderemos codificar O99.33 + F17.--- (ou O--.---- + O99.33 + F17.---)
 
 
Fernando Lopes
amaral bernardo
amaral bernardo

Mensagens : 316
Data de inscrição : 19/12/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum